Quinta, 27 Março 2014 18:19

Facebook aposta no mercado de realidade aumentada

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Empresa adquire Oculus VR, fabricante do headset de realidade virtual Oculus Rift, por U$2 bilhões

Para não ficar de fora do mercado de computação wearable, o Facebook anunciou esta semana que comprou a Oculus VR, fabricante de Oculus Rift, headset de realidade virtual, pela quantia de U$2 bilhões – U$400 milhões em dinheiro e U$1.6 bilhões em ações do Facebook.

É menos que os U$19 bi que o Facebook gastou na aquisição do WhatsApp no mês passado, no entanto, é a segunda maior aquisição a empresa até o momento. A Oculus VR começou a partir de uma campanha Kickstarter que buscava US$ 250 mil e conseguiu arrecadar quase 10 vezes essa quantia no tempo de duração da ação, concluída em outubro de 2012.

Em um post público, o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg descreveu a aquisição como uma negociação para a empresa começar a focar nas plataformas que virão depois das móveis. A tecnologia da Oculus, segundo ele, “abre a possibilidade de experiências completamente novas.”

Zuckerberg afirmou que a Oculus, com a ajuda do Facebook, continuará a se concentrar em seu headset Rift para o jogos imersivos. “Mas este é apenas o começo”, disse ele. “Depois de jogos, vamos fazer da Oculus uma plataforma para muitas outras experiências. Imagine desfrutar um assento na quadra em um jogo, estudar em uma sala de aula de alunos e professores de todo o mundo ou a consultar com um médico face a face – apenas colocando os óculos em sua casa”.

O Google está imaginando exatamente isso, mas com o Glass e seus aplicativos googles. E, assim, há também outros: o Augmedix recentemente levantou US$ 3,2 milhões para deixar o Glass mais adequado para médicos. O setor de tecnologia está esperando que o mercado de computação wearable decole da mesma forma como o mercado de dispositivos móveis.

Apesar do fato de que a obsessão do Facebook com a interação social e o compartilhamento parece não ajustar-se muito com um dispositivo projetado para isolar o portador do mundo real, Zuckerberg, contudo, exalta o headset Oculus como uma nova plataforma de comunicação.

Brendan Iribe, cofundador e CEO da Oculus VR, caracterizada sua companhia de tecnologia de de modo semelhante: “Nós acreditamos que a realidade virtual será fortemente definida por experiências sociais que conectam as pessoas em mágicas e novas maneiras.”

Além disso, a aquisição da Oculus VR também representa uma tentativa de melhorar a imagem do Facebook entre pequenos e médios desenvolvedores de jogos – um grupo à margem da relação especial do Facebook com o Zynga, que terminou no final de 2012. No ano passado, o Facebook tentou melhorar as relações com os desenvolvedores menores de jogos, com a implantação de um programa piloto de desenvolvimento de jogos móveis e a aquisição da Parse. A volta da conferência de desenvolvedores Facebook F8 no próximo mês dá continuidade ao esforço.

IT Web

Ler 1493 vezes